quarta-feira, 10 de março de 2010

Reporte de Sessão 6

Conseguimos fugir da prisão, levando conosco Borrich, o necromante. Fomos até a casa do gnomo reaver nossos rubís o que acabou culminando em um embate com a guarda local. Nesse momento Black, o drow feiticeiro que acabara de se juntar a nosso grupo se revelou bastante instável. Matamos os guardas !! Agora seriamos caçados por assassinato. Não havendo muitas opções resolvemos fugir para as terras selvagens de onde Wicket veio.

O GRUPO
  • Gil Galard - Eladrin Warlord - Puppet
  • T-800 - Warforged Barbarian - Macciola
  • Sunaj II - Deva Wizard - Jean
  • Naraq-Inbar - Longtooth Shifter Ranger- Naraq-Inbar
  • Wicket Ewok - Elf Ranger - Soulcrook
A MISSÃO

Cavalgamos por alguns dias até chegarmos próximos das terras selvagens de onde Wicket veio. Durante esse tempo Sunaj II e os demais interrogavam o gnomo mas, não conseguiam muita informação. Chegamos então ao nosso destino a aldeia dos Ewoks e estava na hora desse gnomo abrir o bico.


Começamos a interroga-lo, com a ajuda do necromante. Nessa hora as coisas começaram a mudar de figura. Descobrimos que não havia sido Hallowmark contratado para roubar Borrich mas, sim que os dois, o necromante e o gnomo, que trabalhavam para o halfling. Verachtungunwürdiger os traiu por dinheiro, começando assim a sua fortuna. Descobrimos também que Hallowmark não estava morte mas, sim havia ido para um ponto onde o plano das sombras toca o nosso plano, para evitar que alguns seres vindos daquele plano apareçam. Segundo o necromante, Hallowmark poderia estar vivo ainda mas, tudo isso seria inútil pois, o mapa estava no relógio perdido do gnomo.

Faltava o nosso rubi, o gnomo disse que ele estava na soleira da porta de sua casa, com uma gargalhada o necromante o interrompeu, e disse que era para ele parar de mentiras pois, já estava ficando enfurecido. Ele pediu para que nos afastassemos... então toda a vida ao seu redor foi sugada, com os olhos pálidos ele confessou que estava com o rubi e ainda conseguimos algum dinheiro.

Pedi a Wicket que levasse o gnomo para a floresta e fizesse com que ele se perdesse por lá. Isso daria algum tempo a nós. Wicket falou que essa seria sua última missão, teria que nos abandonar por um tempo para resolver alguns problemas dos Ewoks.

Antes que partisse pedi que Wicket analisasse o relógio, ele conseguiu encontrar um fundo falso e depois desse fundo um mapa com o nome Avandra escrito. Entreguei o relógio para Naraq e mostrei o mapa para o necromante que disse, que conseguia seguí-lo. Aprontamos a carroça e partimos.

Fomos para um lugar desolado, os céus eram escuros e o chão cinza com árvores retorcidas e desfolhadas que pareciam teimado em sobreviver alí para somente descobrir que não se vai contra a vontade dos deuses . Segundo Borrich aqueles eram os domínios dos Shadar Kai, um povo bastante estranho, idolatram a Senhora dos Corvos, e podem ser facilmente reconhecidos por sua pele pálida e as tatuagens e piercings.


Após um tempo naquelas planícies começamos a ver alguns corpos pelo caminho. Não me lembrei de nenhuma guerra recente naquele local e perguntei o que aqueles corpos faziam alí. O necromante me disse que a Senhora é uma deusa ambiciosa e exige sacrifícios e tributos de seu povo. Fomos então abordados por uma pequena guarda que exigiu um pedágio. Como estavamos com o dinheiro do gnomo achei melhor pagar.

Chegamos até uma grande igreja, decorada com várias estátuas. O necromante disse que não entraria alí pois, não era bem vindo. Dentro da igreja procuramos por Avandra, que se mostrou uma senhora tão bela quanto assustadora, possuía a voz calma e gélida e olhos bastante incisivos. Dissemos que precisávamos ver Hallowmark, ela nos disse que poderia nos levar até lá mas, precisava de um pagamento. Após alguma barganha ela aceitou nos teleportar pelo rubi que carregavamos desde o início de nossa jornada.

Embora tivessemos sido advertidos que itens mágicos poderiam prejudicar o teleporte resolvemos usá-los. Após o teleporte nos vimos em um mundo escuro, cheio de sombras, cercados por um exército com lanças apontadas para nos. Ao olhar para os lados descobri que Naraq havia se transformado em uma criatura meio felina, provavelmente por reação do relógio ao teleporte. Nos apresentei e disse que estávamos procurando Hallowmark, quando que para a minha surpresa um pequeno halfling fura o bloqueio de lanças prosta-se diante a mim e se apresenta como Hallowmark.


Disse que estavamos procurando-o a muito tempo, e precisávamos do segredo para atravessar a barreira. Vocês acabaram de atravessar - disse ele. Perguntei-o se ele conhecia as lendas de um artefato que impedia seu portador de perder uma batalha e expliquei sobre meu povo. Ele disse que conhecia a lenda e poderia ajudar a localizá-lo se nós o ajudássemos com uma guerra que se aproximava. Não tendo muitas escolhas aceitamos.

Formaríamos um pelotão de elite, responsáveis por emboscar um grupo de fantasmas poderosos que atacariam por um dos flancos da cidade-fortaleza. Fomos então até o bosque no pe das muralhas e aguardamos.

Vimos então as criaturas chegando, formas pálidas e bruxelantes de anões e e elfos, os anões de machado e os elfos com arcos. Entre eles um ser magro, cinza, com o rosto grande e escorrido e grandes orbitas negras nos olhos.

Avançamos fortemente para o combate. E logo descobrimos que aqueles malditos podiam invadir os corpos de quem se aproximava. Seria uma batalha contra eles e contra nossos medos. Após um tempo de combate notamos que ainda que se acertasse somente um deles, todos ficavam feridos, a não vida parece que os havia juntado. Foi então que Sunaj II fitou as órbitas vazias do monstro, e as suas se esvaziaram também, seu corpo caiu flácido e sem vida. Atacamos com mais ferocidade ainda e conseguimos terminar com o combate.

Encontramos Hallowmark e finalmente cruzamos a barreira, estou mais próximo do que nunca de meu artefato mas, estamos em um mundo estranho um mundo que não nos quer e nos recebe com uma guerra.

2 comentários:

  1. Olá! A história tá ótima, embora ainda não tenha lido os anteriores (mas vou tirar um tempo para ler). Boa sorte aos heróis.

    ResponderExcluir
  2. Opa !! obrigado pelo comentário, espero que goste da história dos nossos personagens.

    ResponderExcluir