domingo, 23 de maio de 2010

Reporte de sessão 8

Viajamos através do Shadowfell, por suas cinzas planices passamos. Invadimos o covil de um lich e sobrevivemos. Agora uma grande luz cega nossos olhos acostumados com a pernumbra, o sol nos aquece e nos devolve um pouco do ânimo necessário para o combate. Então tudo é interrompido com uma voz melodiosa mas, ríspida "Apresentem-se forasteiros!"

O GRUPO
  • Gil Galard - Eladrin Warlord - Puppet
  • T-800 - Warforged Barbarian - Sub Cmt Marques
  • Caco - Githzerai Hybrid Warlock/Swordmage - Zucatto
  • Tyrell - Half Elf Paladin - Jan
  • Naraq Inbar - Longtooth Shifter Ranger - Naraq Inbar
  • ARGH - Goliath Barbarian - Macciola
A MISSÃO

Apresentem-se forasteiros - Disse o guarda do portal - Ainda nauseados pelo teletransporte, sua voz soou como uma marreta em nossas cabeças. Após se acostumar com a luz nos vimos em uma sala circular, vários Eladrins apontavam suas lanças para nós. - Eu sou Gil Galard, Eladrin vindo do plano de Disckword em minha contenda, as armas não são necessárias. - Eu disse. Olhando com uma certa desconfiança eles abaixaram suas armas, ao analisar o grupo parece que o teleporte novamente não funcionou como deveria pois, agora no lugar de nosso amigo feito de pedra estava um ser meio anfíbio de pele esverdeada.

Quiseram saber como eu havia chegado e o que queria na Feywild. Expliquei a eles sobre Hallowmark e o que estava acontecendo entre os Eladrins e os Warforgeds no mundo de Disckword. logo após perguntei se eles tinham alguma informação sobre o artefato que eu estava buscando. Eles disseram que havia um Eladrin muito velho chamado Dromel Siannon que poderia saber algo sobre ele mas, á muito ele não era visto. E o único que poderia oferecer alguma informação sobre ele era um ente em uma floresta a leste chamado Willow.


Partimos em direção a floresta, a Feywild pode ser mais bonita que o Shadowfell mas, não é menos perigosa, os animais aqui são enormes, suas presas medem muito mais que o braço de um humano, poderiam nos devorar sem muito esforço.

Chegando a floresta tivemos uma mostra do poder que vem de sua terra. Cinco trolls nos emboscaram, derrubando árvores e o que quer que fosse para nos alcançar, lançavam grandes rochas em nossas cabeças. Investimos contra eles, muito mais resistentes do que pensávamos, restando apenas um deles a batalha ainda não estava definida e pendia para eles. Foi então que um enorme salgueiro tal com a fúria de um titã ergueu o troll e o partiu sobre a sua cabeça. Que querem em minha floresta invasores - Disse o ente em um tom autoritário. Dissemos que não queríamos nada em sua floresta apenas procurávamos informações sobre Dromel. Willow disse que o Eladrin havia sido capturado pelos Fomorian e levado para longe dalí, ele nos mostrou em um mapa onde ficava a caverna mas, disse que devíamos procurar por uma gnoma chamada Ellyjobell Ellywick que nos guiaria através das colinas até a caverna. Willow nos ofereceu um pequeno ornamento feito com sua seiva para que a gnoma nos reconhece-se.

Partimos em uma longa viagem descendo o rio para o sul e seguindo a cavalo para oeste. Chegamos a uma vila margeada por um rio, a última vila a oeste. Não foi difícil encontrar Ellyjobell ela era uma guia conhecida mas, não se aventuraria pelas colinas ao poente facilmente, mostramos o ornamento feito por Willow e ela aceitou desde que nos fizéssemos o que ela mandasse.


A primeira imagem que tivemos das pradarias nos sopés das colinas foi um Bullet devorando um cervo sendo depois devorado por um Purple Worm. Avançamos seguindo a gnoma até as colinas, lá encontramos uma grande caverna, sua entrada alta por demais não dava dúvidas que Fomorians viviam alí. Contornamos a montanha até encontrarmos uma entrada lateral guardada por cinco ciclops que foram rapidamente abatidos. Encontramos um mapa da caverna, tratava-se de um círculo central com uns seis túneis disposto radialmente, infelizmente o mapa estava escrito em gigante e nenhum de nos conseguia ler.

Pedi a gnoma que fizesse o reconhecimento, pois esta havia se mostrado muito boa no assunto desaparecer. Ela voltou, disse que havia duas entradas onde escravos eladrins entravam e saiam, uma parecia ser uma mina e a outra ela não sabia. A entrada a nordeste era usada pelos Fomorians e por um grupo de Firbolgs. Pedi que ela voltasse e nos avisasse de um momento mais oportuno para investigarmos as passagens dos escravos.

Ao sinal da gnoma invadimos o lugar e rapidamente fomos até os escravos. Descobrimos que era uma cadeia, enfrentamos alguns carcereiros ciclops que foram derrotados após uma certa dificuldade. Acalmamos os presos e perguntamos por Dromel, eis que um velho eladrin de voz resoluta se apresentou. Ele disse que o item que eu tanto procurava se tratava do cajado do Orcus e que os Fomorian haviam contratado um grupo de Firbolgs para encontrá-lo.

Após obtermos a informação pensamos em soltar os prisoneiros. A gnoma disse que se os soltassem seria uma verdadeira carnificina, assim sendo tivemos que abandoná-los. Tyrell se retirou bastante desgostoso da decisão e vez ou outra pediu que voltássemos.


Saímos da caverna e ficamos esperando pelos Firboolgs, logo eles apareceram, gigantescos, musculosos e cobertos com peles. Quando tentamos ameaçá-los pela informação Caco investiu contra eles de forma inconsequente. Um só golpe roubou a vida de seus olhos, a situação era ruim. Pedi a todos que se afastassem corri até Caco e me teleportei com ele para longe. Entramos na floresta, o corpanzil dos Firbolgs impedia-os de nos alcançar.

Resolvemos seguí-los, o que não foi nada difícil aparentemente não tinham o que temer e deixavam rastros bem claros. Chegamos até a aldeia de Nesme, lá descobrimos através do ferreiro que os Firbolgs tinham sua morada por lá, tratavam-se de trigêmeos e uma irmã mais velha. Depois de uma rápida estada na cidade resolvemos ir atrás deles.

A "casa" dos Firbolgs não passava de um grande campo de treinamento. Lá tentamos um acordo novamente mas, agora os monstros nos tinham como fracos e não revelariam nada. Eis que Naraq-Inbar propõe um desafio, um contra um no ringue se nós vencermos eles nos contam o que sabem se eles vencerem nos partimos.

A luta foi sangrenta, Naraq era muito bom no que fazia e segundos após o início do combate a criatura já vacilava de dor... Nesse instante, seu aspecto mudou ela se transformou em um híbrido com lobo e avançou de forma ainda mais selvagem contra Naraq que finalmente tombou. Quando a criatura se debruçava sobre o cadáver eu interrompi - Basta! - eu disse - Vamos partir agora. foi então que Caco novamente irrompeu eu um ataque desenfreado, seu golpe pós fim ao Firlbolg.

O trato estava desfeito, a luta agora seria pela sobrevivência. T-800 exitou olhando para mim mas, assim que eu acenei positivamente lá estava ele no meio do campo de combate enterrando seu machado nas vísceras dos inimigos. Fiz tudo que podia para manter meus companheiros mas, mesmo assim T-800 tombou mas, não sem antes matar um deles. O outro foi destruído rapidamente, restava a irmã que resolveu fazer um acordo pela sua vida.

Ela nos contou que a busca estaria para começar. Aparentemente os grandes dragões Tiamat e Bahamut estavam também atrás do item para poderem resolver de uma vez por todas suas desavenças. O cajado havia se partido e haviam pedaços na posse de dragões, Swordwings, no plano das sombras e no plano caos.

Tratei dos feridos e voltamos para a cidade, voltei-me para T-800 e disse:

-Swordwings, Dragões ou o plano do caos o que você prefere?

Nenhum comentário:

Postar um comentário