quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Dicas : Interpretação de Personagens

Muito bem, depois de terminar a ficha, escolher os poderes, imaginar aquele combo mega muchikin, chega a hora de animar aqueles números, então o que fazer ?

Pois é, falando de forma simples, personagens de RPG não passam de um grupo de números em um folha de papel, então o que fazer ? como trazer forma aquele papel ? como torná-lo vivo ? A primeira coisa que você tem que imaginar é que você também não passa de um enorme conjunto de átomos, então o que o torna vivo e, principalmente, o que o torna único ?

It's Alive !! It's Alive !!

Antes de continuar preciso dizer que não irei responder essa pergunta, existem tratados enormes de filosofia sobre esse assunto, então seria muita prepotência achar que consigo respondê-la mas, em se tratando de RPG posso dar um ajuda. O que temos no RPG é basicamente o seu passado, o seu presente e seu futuro essas três eras da sua vida irão dizer como o seu personagem encherga o mundo.

O PASSADO
People don't change - MD. House

Sim o seu passado marca seu personagem de forma única, basicamente ele é que define toda a bagagem com a qual você interage com o mundo. O passado de um personagem pode levá-lo a ver o mundo de forma completamente diferente. Se você foi um escravo, por exemplo, sabe que existe crueldade nesse mundo e por muitas vezes experimentou o que o ser humano tem de pior. Coisas como um traição por dinheiro ou tortura não irão surpreendê-lo, essa última em especial você pode considerar até como corriqueira. Ao passo que se você foi um fidalgo que sempre viveu na corte, você pode achar que todas as pessoas são como vocês, fome é algo que não faz sentido assim como tortura. A traição é um crime intolerável e jamais deveria ser cometida por homens de bem.

Uma coisa interessente sobre seu passado é que ele diz de onde você veio mas, não diz quem você é. Não é por que você foi um escravo que agora você tem um comportamento violento. Alguns escravos podem ter um comportamento pacifista pois, já estão cansados de tanta violência.

Irei fazer um post futuramente só sobre isso mas a grande importância de possuir um passado é que ele geralmente determina o futuro do personagem. Por mais paradoxal que possa parecer mas, seu passado é que define uma motivação para o seu personagem, aquilo pelo qual ele irá lutar todo dia.

O PRESENTE
Cogito ergo, sum - René Descartes

Existe uma coisa interessante sobre as pessoas, elas não egecrhnam aiuqlo que etsá dtinae dos seus ohlos mas, sim aiuqlo que airetcdam que eãtso vdneo.

É exatamente esse ponto que torna seu personagem único, a forma que ele vê o mundo. Se o seu personagem veio de terras selvagens ele provavelmente terá uma certa desconfiança de magias arcanas, sobretudo, aquele homenzinho franzino que com um gesto incendeia a sala não parece ser a pessoa mais confiável. Ao passo que um homem de Sharn vê a magia como uma simples ferramenta e a utiliza, ou está em contato com ela, todo dia.

O importante aqui é que sua visão de mundo é diretamente moldada pelo seu passado, seus costumes e sua tradição dependem de onde você veio. Um exemplo simples é acompanhar dois conjuntos de pessoas de cursos de áreas diferentes na faculdade, uma turma das ciências exatas e outra das ciências humanas por exemplo. Cada uma das turmas possuíra maneirismos, de maneira geral quem estuda humanas tende a ser mais engajado em lutas sociais enquanto o pessoal das exatas está mais interessado no último chip lançado.

Observe que esses dois grupos são extremamente heterogênios, imagine agora a diferença do bárbaro vindo de terras selvagens, para o clérigo instruido nas artes do alto clero e por fim para o mago mestre dos segredos arcanos. Cada um irá se portar de forma diferente, coisas simples como comer com as mãos ou procurar um talher já marcam o seu personagem mas, o mais importante é passar a visão do seu personagem para os demais.

Ele teria uma lenda para os mortos-vivos ? Acredita nos espíritos das florestas ? Acha que a magia vem das profundezas do inferno ou seria uma dádiva dos deuses ?

O FUTURO
Dê-me um minuto para falar e poderei seduzir a rainha da frança - Voltaire

Pense naquilo que faz seu personagem acordar todas as manhãs e viver o dia. Aquilo que impulsiona cada passo e faz com que ele enfrente as adversidades do mundo com a cabeça erguida. A isso chamamos de motivação. Seu personagem, como um aventureiro busca algo, ele não é como os demais que saem de casa pela manhã, trabalham e retornam a noite. Cada vez que ele fecha a porta em suas costas ele não sabe se pode retornar, existe algo mais importante que a sua própria vida que o impulsiona e o faz entrar em masmorras e castelos assombrados.

O que seria isso, a busca por poder? Libertar o seu povo? Provar aos demais que ele é digno de valor ? Muitas vezes a motivação do personagem nasce em seu passado. Ele é um filho bastardo que nunca foi aceito pelo seu pai nobre, então talves ele queira provar que pode ser melhor que os filhos de sangue, viveu como escravo ? então com certeza sonha com a liberdade, ou talves queira a vingança ?

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Por fim o mais difícil, costurar tudo isso. A juntar seu passado com sua motivação teremos a forma de ação do personagem, seu caráter. Um passado violento com uma motivação por vingança trará um personagem amargo e maligno, já um passado violento mas com a motivação pela libertação do povo dará origem a um personagem resignado com o mundo, alguém que viu o que o homem tem de pior mas, acredita nas boas ações.

Estabelecido seu caráter fica fácil determinar a forma que o personagem encherga o mundo, seriamos uma terra de oportunidades ou uma laranja podre que clama por um regente de braço forte para organizar a casa ?

A questão é entre uma machadada e outra seu personagem respira e observa o mundo, não tome esses momentos como pura enrolação, faça com que todos conheçam seus traços e torne seu passado e seu futuro presentes através de suas ações.

I'm Alive !! I'm Alive !!

Um comentário: